Sincronização de slicers (avançado)

No Power BI existem algumas funcionalidades que devido a forma como podem ser configuradas se tornam pouco conhecidas, no entanto que podem vir a trazer interatividade bastante interessante nos relatórios que criamos.

A sincronização de slicers permite-nos ter os nossos dados “sincronizados” entre diferentes páginas do nosso relatório e é facilmente configurável, até porque, num simples copy+paste entre páginas nos é perguntado se queremos sincronizar.

No entanto as opções avançadas são por vezes esquecidas, esta opção permite-nos sincronizar slicers que estejam no mesmo grupo, ou seja, podemos realizar a sincronização de slicers dentro da mesma página.

Continue a ler “Sincronização de slicers (avançado)”

Utilizar dados do Google Sheets

O Power BI tem diversas opções de ligação a diferentes fontes de dados, no entanto a ligação aos Google Sheets está dependente de ligação web. Essa ligação web necessita que as pastas e /ou ficheiros sejam partilhados através de link utilizando a opção Share ou Get a Shareable Link.

Ao fazermos a partilha do ficheiro, este fica acessível a quem tiver o link sem necessidade de autenticação. A ligação através de links web implica a autenticação sem credenciais (anónimo) situação que a ligação ao Google drive faz quando fazemos o Share.

De modo a manter as garantias de autenticação tínhamos duas opções:

  • Criação de um conetor personalizado com ligação via API do Google
  • Utilização de uma máquina virtual ou servidor com ligação ao Google Drive, e um ficheiro local sincronizado com o Drive e utilizar essa localização para servir de base aos relatórios

Para as duas opções será necessário uma gateway para que o serviço se possa conectar a essa máquina virtual.

Em novembro foi lançado a ligação ao Google Sheets, o que permite uma ligação segura através de autenticação.

Continue a ler “Utilizar dados do Google Sheets”

Utilização de Sparklines

Nas análises através de tabelas ou matrizes, muitas das vezes é difícil perceber a significância dos valores em comparação com outros, nomeadamente a existência de tendências ou evolução.

Na última atualização do Power BI foi apresentada em preview a utilização de Sparklines para tabelas e matrizes.

O que são sparklines?

Sparklines são pequenos gráficos dentro de uma célula de uma tabela ou matriz que simplificam a comparação/tendências de um número elevado de dados.

Continue a ler “Utilização de Sparklines”

Novo painel de navegação

Uma das principais preocupações no desenvolvimento de relatórios é a forma de navegação. Sendo o Power BI uma ferramenta com a sua utilização através de um browser ou da aplicação de telemóvel/tablet, acabamos sempre por comparar a sua utilização com a páginas de internet e queremos que seja intuitiva.

Muitas vezes criamos vários botões que nos permitem navegar entre as diversas páginas ou bookmarks, no entanto a sua manutenção é complicada uma vez que caso se apague ou crie uma nova página temos de ir refazer todas as configurações em todas as páginas.

Com a versão de novembro foi lançada em preview a criação automática de um painel de navegação, o que vem simplificar toda a experiência.

Continue a ler “Novo painel de navegação”

Qual a solução?

Na comunidade muitas vezes surgem questões, mas os utilizadores não especificam qual o tipo de resultado que pretendem. Esta indefinição faz com que dependendo da nossa abordagem ao problema possam surgir opções de cálculos em DAX ou Power Query? Medidas ou colunas?

Claro que a escolha da melhor opção é também ela muito ambígua e pode ser influenciada por diversos fatores, tipo de modelo, dimensão dos dados, entre outras.

No entanto penso que um dos fatores que mais influencia a opção final é o próprio utilizador questões como o grau de experiência, conhecimento da ferramenta, urgência na resolução da questão, podem muitas vezes sobrepor-se a questões de desempenho ou de melhores praticas.

Nesta publicação demonstro como uma simples pergunta me levou a dar duas opções de modo que o utilizador conseguisse optar pela que mais se adequasse às suas necessidades.

Continue a ler “Qual a solução?”

Como fazer debug de uma medida DAX

Ao desenvolvermos os nossos cálculos muitas vezes obtemos alguns resultados que não conseguimos entender. Esta situação ocorre em cenários em que temos diversos filtros a influenciarem o contexto, ou na utilização de fórmulas agregadores como o SUMX, MAXX, SUMMARIZE.

Existem diversas formas para podermos detalhar e analisar os dados subjacentes e percebermos qual a origem dos problemas. Apresento abaixo uma das opções para validarmos a correção dos nossos cálculos.

Continue a ler “Como fazer debug de uma medida DAX”